Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Atualização da 11ª semana do distanciamento controlado

8 Regiões com Bandeira Vermelha na décima primeira semana do Distanciamento Controlado

Publicação:

Imagem distanciamento controlado
Imagem distanciamento controlado

Na décima primeira rodada do distanciamento controlado, oito regiões do Rio Grande do Sul estão em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto) e as outras 12 com laranja (risco médio), decorrente da piora nos indicadores de propagação da Covid-19 e da capacidade de atendimento do sistema de saúde.

Nesta segunda-feira (20/07) foi divulgado o mapa definitivo.

As regiões classificadas com bandeira vermelha são  Capão da Canoa, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Caxias do Sul, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Taquara
O restante das regiões estão classificadas em bandeira laranja (Risco epidemiológico médio).

A vigência começa à 0h desta terça-feira (21/07) e se encerra às 23h59 da próxima segunda-feira (27/07).

O governador Eduardo Leite, em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta segunda-feira (20/7), lembrou que o governo do Estado, desde a implantação do Distanciamento Controlado, trabalha para equilibrar a proteção à vida e à saúde dos gaúchos e preservar ao máximo os empregos e a qualidade de vida da população.

“Não significa que o Estado esteja vivendo menor risco, mas que temos observado que há uma situação mais grave concentrada nas regiões de bandeira vermelha, principalmente na Região Metropolitana. Mas não podemos relaxar os cuidados nas regiões de bandeira laranja para não chegar no nível crítico das demais. Por isso, renovo o apelo para que atendam aos protocolos, fiquem em casa o máximo que puderem, estabeleçam menor número de contatos possível para termos redução da demanda da estrutura hospitalar e possamos manter ao máximo as atividades econômicas”, afirmou Leite.

Depois da análise de recursos, o Estado ficou com 252 municípios sob bandeira vermelha, o que corresponde a 63,6% da população gaúcha (7.199.739 habitantes). Deste total, 120 municípios não tiveram registro de hospitalização e óbito por Covid-19 de morador nos 14 dias anteriores ao levantamento – equivalente a 5,5% da população gaúcha (620.914 habitantes).

As prefeituras dessas cidades se adequam à chamada Regra 0-0 e podem, portanto, adotar protocolos previstos na bandeira laranja por meio de regulamento próprio. Basta que mantenham atualizados os registros nos sistemas oficiais e adotem, por meio de decreto, regulamento próprio, com protocolos para as atividades previstas na bandeira laranja.

Alerta para bandeira preta

Nestas 11 semanas de Distanciamento Controlado, o RS segue sem registro da bandeira mais grave, de cor preta. No entanto, as equipes do governo alertam para a situação de cinco regiões que ficaram muito próximas de migrarem para o nível de risco altíssimo.

Para atingir a bandeira preta, o arredondamento da média ponderada dos 11 indicadores deve alcançar, no mínimo, 2,5, enquanto a da bandeira vermelha é 1,5. Nesta rodada, Taquara ficou média de 2,40, Porto Alegre (2,36), Capão da Canoa (2,33) e Novo Hamburgo e Canoas (2,25).

Ponderada por região

Um dos principais agravantes nestas regiões é o número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias por local de residência do paciente. A capital teve 334 novas hospitalizações; Novo Hamburgo, 99; e Canoas, 47.

 

Segue abaixo o mapa com as bandeiras da décima primeira semana:

Mapa da Décima Primeira semana de distanciamento controlado
Mapa da Décima Primeira semana de distanciamento controlado

 

Caso tenha dúvida, entenda como funciona o distanciamento controlado.
Com base em evidências científicas e análise de dados, o modelo de Distanciamento Controlado – que está oficialmente em vigor desde 10 de maio em todo o Rio Grande do Sul – tem o objetivo de equilibrar a prioridade de preservação da vida com uma retomada econômica responsável.

Para isso, o governo dividiu o Estado em 20 regiões e mapeou 105 atividades econômicas. A partir de um cálculo que leva em conta 11 indicadores, segmentados em dois grupos – propagação do vírus e capacidade de atendimento de saúde –, determinou a aplicação de regras (chamados de protocolos) mais ou menos restritas para cada segmento de acordo com o risco calculado para cada região.

Conforme o resultado do cruzamento de dados divulgados de forma transparente, cada local recebe uma bandeira nas cores amarela (risco baixo), laranja (risco médio), vermelha (risco alto) ou preta (risco altíssimo).

Saiba mais sobre décima primeira semana do Distanciamento controlado (CLIQUE AQUI)

Para maior conhecimento do Distanciamento Controlado acesse o link da página da Central do Cidadão e acesse o site do governo que explica como funciona a estratégia do governo.

Central do Cidadão